Internet das Coisas, o que isso irá mudar em sua vida

Nada vai mudar a maneira como vivemos nossas vidas mais do que a introdução do conceito de Internet of things (IoT), na tradução livre, Internet das coisas. A adoção do uso de inteligência artificial e robótica vão tornar a vida muito mais fácil e as empresas mais eficientes e rentáveis, embora o medo e descontrole da tecnologia seja grande. Isso tem a ver com perspectivas de emprego e se alguns cientistas proeminentes devem acreditar que as máquinas artificiais inteligentes podem um dia adquirir comportamento humano e tornar real o pesadelo dos filmes de ficção onde as maquinas destroem a humanidade. Do outro lado existe a possibilidade de uma sociedade anônima escondida nas sobras, os hackers, tomarem conta de tudo e criarem problemas. Imagine um vírus na sua geladeira ligada a Internet, ela simplesmente congela tudo ou estraga os alimentos.

IoT

A Internet das coisas é a rede interna de dispositivos físicos, veículos (também referidos como “dispositivos conectados” e ” dispositivos inteligentes”), edifícios e outros itens incorporado com produtos eletrônicos, software, sensores, atuadores e conectividade de rede que permitem que esses objetos coletem e troquem dados, no futuro talvez até tomem decisões autônomas. Ainda em 2013 a Iniciativa de Padrões Globais sobre a Internet das Coisas definiu o IoT como “a infra-estrutura da sociedade da informação”. A IoT permite que os objetos sejam detectados ou controlados remotamente através da Internet criando oportunidades para uma integração mais direta do mundo físico em sistemas computacionais e resultando em maior eficiência, precisão e benefício econômico além de Redução da intervenção humana. Quando a Internet das coisas é aumentada com sensores e atuadores, a tecnologia se torna uma instância da classe mais geral de sistemas cyber-físicos, que também engloba tecnologias como, casas inteligentes, transporte inteligente e cidades inteligentes. Cada coisa é identificável exclusivamente através de seu sistema de computação incorporado, mas é capaz de interoperar dentro da infra- estrutura de Internet existente. Os especialistas estimam que o IoT consistirá em quase 50 bilhões de objetos até 2020.

A maior ameaça existencial para nós não será de filmes de ficção científica como cenários onde máquinas artificialmente inteligentes e robôs se rebelarão contra humanos, mas pela vulnerabilidade de segurança que essa convergência em escala de massa poderia dar origem. Um sistema menos do que perfeitamente concebido poderia por exemplo ter impacto sobre toda a rede e levar a consequências desastrosas numa escala sem precedentes.

Pergunta! Você deixaria seu bebê em um berço controlado remotamente? Imagina você no trabalho e alguém simplesmente invade o sistema de controle do seu berço, ele pode te chantagear, por exemplo, pode ameaçar aumentar a temperatura do local, balançar o berço por várias horas, ou qualquer outra função que possa colocar em risco a saúde do seu filho. É complicado pensar em internet das coisas para alguns objetos específicos, alguém simplesmente podem aumentar drasticamente a temperatura do aquecedor ou diminuir a do ar-condicionado, mexer no sistema de gás, tudo que uma mente que vise o objetivo de prejudicar alguém pode vir a pensar.

internet of things

Normalmente, espera-se que o IoT ofereça conectividade avançada de dispositivos, sistemas e serviços que vá além das comunicações máquina a máquina (M2M) e cobre uma variedade de protocolos, domínios e aplicativos. A interligação destes dispositivos incorporados (incluindo objetos inteligentes), está prevista para inaugurar em automação em quase todos os campos, ao mesmo tempo, permitindo que os aplicativos avançados, como uma rede inteligente, e se expandindo para áreas como cidades inteligentes. É poder demais para a Internet. Empresas de segurança precisarão evoluir mais do que qualquer outra entidade.

Com IoT, mais serviços estão se tornando disponíveis mais rápido do que podemos razoavelmente adotá-los. Essa não é uma razão para evitar a expansão do conceito, principalmente quando se trata de serviços médicos, mas um aviso. Os provedores devem fazer sua lição de casa, fazer um plano com medidas mensuráveis ​​para determinar o progresso e proceder quando satisfeito com o plano e os riscos identificados.

Mais importante ainda, o armazenamento seguro e facilidade de recuperação para todos os dados atuais de registro, precisa ser implementado. Fazer isso antes de implementar IoT é algo necessário.

Considere especificamente a Cloud Computer para armazenamento de registros arquivados. Ainda há muita discussão sobre a segurança a longo prazo dos dados contidos na Nuvem. Temos um histórico bem documentado para implementar e manter a segurança em servidores. O que isso realmente significa é que temos uma maior compreensão dos riscos associados ao armazenamento de dados em servidores do que fazemos para armazenar dados na Nuvem. Qual método de armazenamento vai provar ser a melhor escolha continua a ser visto. Vale lembrar o vazamento de informações das celebridades americanas.

Quando novas tecnologias estão sendo consideradas, é especialmente importante avaliar os riscos. Sempre foi verdade que o nosso potencial de tecnologia excede a nossa habilidade para explorar esse potencial. Entre os benefícios da nova tecnologia estão a velocidade de processamento aumentada e a facilidade de acesso. Assim os erros podem ser feitos mais rapidamente e mais pessoas terão oportunidades para os fazer.

Uma série interessante e recomenda para se assistir e ter uma noção do impacto negativo que certas tecnologias terão no homem se não controladas é Black Mirror, disponível na Netflix.

 

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply